Como detectar redes sem fio?

Muita gente me perguntou como detectar redes sem fio e como saber em que canais estão transmitindo as informações, depois que eu coloquei a notícia das interferências das redes sem fio.

Bom, normalmente eu uso o software Netstumbler, um simples software mas de grande utilidade. Fácil de usar, de entender, e de detectar redes sem fio, o software permite ainda fazer um monte de filtros por protocolos, canais, velocidade de transmissão, fabricantes, etc.

Caso você esteja com muitas interferências na sua rede doméstica, verifique através do Netstumbler, qual canal você está usando e quais canais os vizinhos estão usando. O ideal é que os canais estejam separados por pelo menos 3, quero dizer, se você usa o canal 1, o vizinho tem que usar o canal 4 pra cima. Como temos de 11 a 13 canais, dependendo do país, o ideal é que 3 redes usem os canais 1, 6, 11 que assim, em teoria, não terá nenhuma interferência.

Interferências nas redes sem fio

Sempre damos pouca importância as interferências em redes sem fio. Pensamos: “ah, tenho 80% de sinal, está bom, não me importa se tem ou não interferência”. Mas ultimamente tive problemas sérios com interferências, mas só descobri isso depois de 2 meses de sofrimento.

A história é que eu tenho internet em casa e um modem sem fio. No meu andar, eu posso detectar aproximadamente de 7 a 10 redes, dependendo da hora. Até ai tudo normal, minha internet (por cabo) funcionava perfeitamente, mas a rede sem fio as vezes funcionava, outras vezes não. Um dia chamei a assistência técnica e o técnico me pediu para levar o modem para fazer uns testes. Adivinha o que aconteceu? A rede sem fio funcionava perfeitamente e fiquei com a cara no chão depois de reclamar e falar que o modem era uma “mer…”. Após checar sinal da rede sem fio, ir até a assistência técnica com o modem na mão, ver todas as configurações de rede sem fio do Windows, etc, o problema só poderia ser minha casa.

Mudei o modem de lugar e nada. Tinha 90% de sinal mas a rede sem fio não funcionava.
Resumindo, após 2 meses de luta, descobri que o problema era interferência de outra rede sem fio do meu prédio. Como descobri isso? Quando eu ligava o computador, o Windows sempre conectava na rede do vizinho, que por sinal, não tinha WEP nem nada. Descobri então que a potência de saída do modem do vizinho estava fazendo interferência no sinal da minha rede sem fio. A solução foi falar com o vizinho para ele diminuir a potência do modem. O modem dele não tinha esse parâmetro de configuração e o que fizemos foi desabilitar a rede sem fio dele.

Resultado: minha rede funciona perfeitamente. A do vizinho não. Hehe! Mas esse exemplo é para mostrar que devemos dar valor as interferências nas redes sem fio. Como as frequências são públicas e todos podem usar, tem que ficar atento.

Equipamentos 802.11n são compatíveis com 802.11 b/g

Agora que o padrão 802.11n já foi aprovado, já tem fabricantes lançando equipamentos com o novo padrão, que permite taxas de transmissão de até 300 Mbps, ao contrário das redes 802.11b que transmitem até 11 Mbps e as 802.11g que transmitem até 54 Mbps, todos em teoria.

A fabricante de equipamentos de rede, SMC Network acaba de lançar o “SMC Barricade N wireless 4-port broadband router“, só faltou o Tabajara no nome. Diz o fabricante, que o equipamento é totalmente compatível com as tecnologias já existentes, a 802.11 b/g, isso é um bom sinal. Assim que outros fabricantes lançarem seus aparelhos, eu colocarei aqui no Blog.

Quanto custaria cobrir todo o planeta com Wimax?

Segundo a publicação Digital Divide, seriam necessários 2,6 trilhões de dólares para fazer uma rede Wimax com antenas que tivessem cobertura em todo o planeta. Este cálculo foi feito baseado na superfície da Terra e também de um custo médio de uma torre Wimax, que em média é de $150.000 por cada 1,6km quadrados.

A verdade é que se poderia arrecadar uma parte desse dinheiro se houvessem clientes dispostos a pagar o preço do acesso em qualquer lugar e a qualquer momento. Isso não passa de uma ilusão, mas em 10 anos já teremos alguma tecnologia similar que possa oferecer conectividade onde quer que você esteja, e o melhor, sem pagar nada.

Padrão 802.11n pode ser aprovado nessa semana

O padrão 802.11n deve ser aprovado já nessa semana. O grupo IEEE está com bastante expectativa com relação a esse padrão e provavelmente deverá virar o standard mesmo. A “draft”, que é uma proposta, deve ser primeiramente votada pelos membros do grupo e seomente na próxima reunião saberemos seo padrão realmente foi aprovado ou não.

Para quem não sabe, o padrão 802.11n propõe taxas de transmissão de até 600 Mbps. Atualmente já existem alguns produtos que cumprem com o primeiro draft do padrão N e transmitem a 300 Mbps. A grande vantagem desse novo padrão também será a incorporação do 802.11i para garantir a segurança na comunicação dos dados.

Histórico do grupo 802.11n (Wikipedia):

En enero de 2004, el IEEE anunció la formación de un grupo de trabajo 802.11 (Tgn) para desarrollar una nueva revisión del estándar 802.11. La velocidad real de transmisión podría llegar a los 600 Mbps (lo que significa que las velocidades teóricas de transmisión serían aún mayores), y debería ser hasta 10 veces más rápida que una red bajo los estándares 802.11a y 802.11g, y cerca de 40 veces más rápida que una red bajo el estándar 802.11b. También se espera que el alcance de operación de las redes sea mayor con este nuevo estándar gracias a la tecnología MIMO Multiple Input – Multiple Output, que permite utilizar varios canales a la vez para enviar y recibir datos gracias a la incorporación de varias antenas (3).

Existen también otras propuestas alternativas que podrán ser consideradas y se espera que el estándar que debía ser completado hacia finales de 2006, se implante hacia 2008, puesto que no es hasta principios de 2007 que no se acabe el segundo boceto. No obstante ya hay dispositivos que se han adelantado al protocolo y ofrecen de forma no oficial éste estándar (con la promesa de actualizaciones para cumplir el estándar cuando el definitivo esté implantado).

TRF mantém teles em leilão de banda larga sem fio

O TRF (Tribunal Regional Federal) de Brasília manteve as operadoras de telefonia fixa local no leilão de faixas de freqüência para operar o serviço de acesso à internet em banda larga sem fio. No final de agosto, as teles já haviam conseguido liminar para participar do leilão. Desde então, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) tem tentado, sem sucesso, cassar a liminar. A decisão de ontem do TRF não tem efeito prático. A licitação está suspensa desde setembro, por determinação do TCU (Tribunal de Contas da União).
Além disso, a Anatel já informou que só retomará a licitação quando cassara liminar. Em relação à decisão de ontem do TRF, ainda cabe recurso no próprio tribunal, no STJ e no STF. Procurada, a Anatel não comentou a decisão do TRF. O TCU apontou erros nos critérios para formação de preço mínimo de venda das freqüências. Segundo o tribunal, o preço teria ficado R$ 23 milhões inferior ao que deveria ser. As áreas técnicas da Anatel e do TCU ainda não chegaram a um entendimento sobre o caso.
A Anatel elaborou edital no qual as empresas de telefonia fixa local estavam proibidas de apresentar propostas de compra de faixas de freqüêncianas áreas onde atuam como operadoras fixas. A intenção era estimular a competição. Segundo a Anatel, as teles fixas já oferecem acesso à web em banda larga por meio de suas linhas fixas. O argumento das teles, na Justiça, é que a agência não pode saber se haverá ou não prejuízo àcompetição. Além disso, alegam que, pelas regras do edital, haverá mais de uma empresa oferecendo o serviço em cada região. Esse argumento tem sido aceito pela
Justiça.
Fonte: Estado de São Paulo